LogoCmadeira2020

LogoSRTC2020

PT EN

porta portalO Governo Regional, através da Secretaria Regional de Turismo e Cultura (Direção Regional da Cultura) mantém, em 2022, o apoio à Porta 33 - Associação Quebra Costas, Centro de Arte Contemporânea, através de um contrato-programa no valor de 20 mil euros que se destina, sobretudo, a comparticipar as despesas de normal funcionamento daquela entidade cultural privada.

A atribuição deste apoio tem por base o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido por aquela associação cultural sem fins lucrativos, fundada em 1989 e declarada de Utilidade Pública por Resolução do Conselho do Governo Regional a 26 de abril de 2002.

A Porta 33 desenvolve a sua atividade no âmbito da cultura contemporânea, realizando ações, eventos e atividades em diversas áreas, designadamente, artes plásticas, exposições, mostras, colóquios, seminários, workshops, sessões multimédia, documentação contemporânea, serviços educativos, entre outros, não só na sua sede, sita à Rua do Quebra Costas, no Funchal, mas também no Porto Santo, onde têm vindo a desenvolver, desde 2019, atividades artísticas na Escola da Vila.

Refira-se ainda que a Porta 33 foi distinguida Governo Regional da Madeira, no Dia da Região e das Comunidades Madeirenses, dia 1 de julho de 2020, com a Insígnia Autonómica de Distinção.

Na cerimónia de assinatura do contrato-programa em causa, o secretário regional de Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, ressalvou a importância do trabalho que a Porta 33 tem realizado desde a sua fundação, na dinamização da produção artística regional e na divulgação dos artistas residentes no arquipélago, quer localmente, quer fora de portas, assim como a divulgação do trabalho artístico de artistas nacionais e internacionais na Região. Acima de tudo, “a Porta 33 tem contribuído fortemente, ao longo dos anos, para a melhoria da oferta cultural na Madeira e para a promoção da Região também enquanto destino de cultura”, disse o governante, salientando ainda a realização de eventos de cariz diferenciado e a preocupação constante com a relação com a comunidade, algo que está patente no trabalho desenvolvido no Funchal e, nos últimos anos, também no Porto Santo. “As instituições como a Porta 33 são estruturantes para a produção, promoção e divulgação da Cultura feita na Região”, sublinha.