LogoCmadeira2020

LogoSRTC2020

PT EN

Festas e Romarias da Madeira. 
No âmbito do projeto desenvolvido no Museu Etmográfico da Madeira e do qual resultou uma exposição temporária e a edição, em 2019, do livro “Festas e Romarias da Madeira” (o Nº3 da nossa coleção “Cadernos de Campo”, premiada com o Prémio APOM 2019, na categoria de Investigação), o museu decidiu partilhar, nas suas páginas das Redes Sociais, diferentes álbuns, com imagens que fazem parte dessa obra.
Em 2020 partilhámos várias festas, de todos os concelhos, procurando assinalar alguns aspetos que as caraterizavam.
Estamos, agora adivulgar alguns artefactos, relacionados com os rituais profanos e religiosos destas festas. Esta semana, divulgamos a roleta.
Em todas as paróquias, celebram-se festas religiosas e romarias, normalmente aos fins-de-semana, consagradas a Deus, ao Espírito Santo, a Nossa Senhora e aos santos.
O dinheiro, para cobrir as despesas com a festa, provém das recolhas que têm lugar por toda a ilha, da quota paga pelos elementos das Confrarias, mas também das oferendas, dos vários sítios, materializadas nas chamadas "romagens".
Antigamente, as oferendas eram constituídas, essencialmente, por produtos da terra, simbolizando o agradecimento do povo pela abundância e um apelo à fertilidade das colheitas seguintes. Atualmente são constituídas por variadíssimos produtos como doces, bordados, flores e outros objetos.
As oferendas, em dinheiro ou em género, são transportadas em diferentes suportes, sendo a sua curiosa ornamentação resultado da criatividade dos habitantes de cada sítio. Em determinados concelhos, os produtos da terra, por exemplo, são transportados nas tradicionais "charolas", em certas localidades, as aves vinham em gaiolas, dependuradas numa vara e no Curral das Freiras, curiosamente, os animais, nomeadamente as cabras, eram ornamentados com tiras de papel coloridas, sendo adquiridos, durante o percurso, pelos rapazes que iam casar.
Uns dias antes da festa, é nomeado, em cada sítio, um grupo de pessoas, que se encarregam de recolher as oferendas e de arranjar voluntários para desfilar nas "romagens" .
Geralmente, a banda acompanha o pároco, durante esse cortejo processional, no qual desfilam dezenas de pessoas, que entoam rimas populares, alusivas a este ato simbólico.
Quando chegam à Igreja, as oferendas são depositadas na "copa" ou bazar, uma estrutura construída para esse fim, para serem "arrematadas" (leiloadas), ou entregues como prémio, aos que tiveram a sorte de comprar a rifa certa, sorteada com o auxílio de uma ROLETA.
O termo roleta deriva do francês "roulette" , que significa roda pequena. É um objeto circular, geralmente de construção artesanal, que tem como função indicar os números premiados. A roleta está dividida em várias partes, correspondendo, cada uma das partes, a um número. Um homem aciona a roleta, de modo a que esta gire, com velocidade moderada e quando esta fica imóvel, verificam em que espaço está sinalizada, por um segmento, colocado na sua borda, definido-se o número do vencedor da rifa.

roleta