LogoCmadeira2020

LogoSRTC2020

PT EN

As Coleções do Museu Etnográfico da Madeira - Atividades Extrativas: Pesca. 
(Doação: Américo Virgílio Correia de Lima, Porto Moniz). 
Os processos e as técnicas de pesca foram, naturalmente, introduzidos pelos primeiros povoadores, assemelhando-se aos existentes em Portugal Continental, embora tenham sofrido algumas alterações, de forma a se adaptarem às condições do meio e às espécies existentes.
Entre os aparelhos tradicionais de pesca, utilizados na Madeira, há que distinguir as linhas e anzóis, as redes, os instrumentos de arremesso e de apanha e as armadilhas.
Os “peneiros” são pequenas redes, feitas de malha apertada. Possuem uma forma redonda, afunilada e são providas de um arco de ferro, amarrado pelas malhas extremas da sua circunferência.
São lançados ao mar com uma corda, presa a três ou quatro linhas, as chamadas “tiradeiras”, atadas em espaços iguais, ao arco de ferro.
Como isca, os pescadores utilizam caranguejos ou lapas (moluscos gastrópodes), enfiados num arame, atado dentro do “peneiro”. Esta pequena rede descansa no fundo e os peixes vão entrando, atraídos pela isca. O pescador, com o auxílio do “mira-fundos” (óculo), vai observando a entrada do pescado e quando está cheio, levanta-o, com precaução, por meio da corda. É utilizado, usualmente, para pescar peixes pequenos, nomeadamente castanhetas (“Chromis limbata”)

Bibliografia:
NUNES, Adão A., “Peixes da Madeira”, Fac‑Simile da 2ª edição D.R.A.C. Funchal, 1994.
peneiron