LogoCmadeira2020

LogoSRTC2020

PT EN
Rafael Bordalo Pinheiro (Lisboa,1846-Lisboa,1905).
Faiança e moldagem.
Caldas da Rainha, Fábrica de Faianças das Caldas da Rainha.
Ca. 1897.
Rafael Bordalo Pinheiro - Rafael Augusto Prostes Bordalo Pinheiro (Lisboa, 1846-Lisboa, 1905) foi aguarelista, ilustrador, decorador, caricaturista político, jornalista, ceramista e professor.
Frequentou o Conservatório e a Academia de Belas Artes, o Curso Superior de Letras e a Escola de Arte Dramática. Em 1875 viaja para o Brasil, regressando a Portugal só em 1879, ano em que concebe a figura do Zé Povinho, publicada n'A Lanterna Mágica.
Na Fábrica de Faianças das Caldas da Rainha começa, em 1885, a produção de louça artística.
Produziu imensos desenhos para almanaques, anúncios e revistas estrangeiras. Além de ter desenhado uma baixela de prata, concebeu um núcleo variadíssimo de peças, como jarras, vasos, bilhas, jarrões, pratos, azulejos, painéis, frisos, placas decorativas, floreiras, fontes-lavatório, centros de mesa, bustos, molduras, caixas, alfinetes, perfumadores.
Foi prestigiado com várias medalhas de ouro, em Madrid (1892), em Antuérpia (1894), em Paris (1900) e nos Estados Unidos (1904).
Em 1870 lançou três publicações: "O Calcanhar de Aquiles", "A Berlinda" e "O Binóculo"; o "M J ou a História Tétrica de uma Empresa Lírica", em 1873; "O António Maria" e "Pontos nos ii", entre 1885-1891; e "A Paródia", o seu último jornal, surge em 1900.
Créditos: Casa-Museu Frederico de Freitas
 
bulejnota22 n