LogoCmadeira2020

LogoSRTC2020

PT EN
Utensílios do Pão.
O Pão constitui a base alimentar do mundo ocidental e apesar de ter sido criado há milhares de anos, o seu consumo continua a ser regular. Um alimento humilde, mas de digno valor em situações de extrema pobreza que várias vezes se abate na nossa sociedade.
Por ser um alimento de presença obrigatória em qualquer mesa, havia o costume de amassar o pão à mão e levá-lo a cozer nos antigos fornos de lenha. Antes de existirem as padarias, cada um estava à sua mercê, era preciso pôr as mãos na massa.
A amassadura do pão é um processo moroso e exigente, geralmente levado a cabo pelas mulheres. A farinha é deitada numa amassadeira, e a ela adiciona-se o fermento previamente diluído em água morna, a batata-doce e o sal. Esta mistura é amassada até ficar homogénea e é logo de seguida, posta a levedar. Depois, a massa é repartida num tabuleiro de madeira em pequenas porções. Faz-se a “cama do pão”, isto é, uma toalha polvilhada com farinha onde se coloca o pão a levedar antes de ir ao forno. Enquanto isso, o forno é preparado: acende-se o lume, com madeira, e deixamos arder até ficarem só as brasas. Depois, varremos o forno e retiramos as brasas e a cinza. Quando surgir a chamada “pestana” na pedra por cima da porta do forno, este está pronto para receber o pão.
Como qualquer tradição popular, existem superstições muito curiosas que eram rigorosamente seguidas. Era, por exemplo, costume fazer uma cruz por cima da massa antes de esta ser dividida, ou rezar uma oração antes de levar o pão ao forno. Acreditava-se ainda que a pessoa que amassasse não podia beber água enquanto fazia o pão.
A sociedade moderna deu as boas-vindas à mecanização, e assim, a produção de pão passou a ser automatizada e simplificada. A capacidade de produção passou a ser muito mais elevada do que o tradicional e moroso processo de amassar à mão. O ritmo frenético de todos os dias foi outra das razões que levou a que as pessoas não conservassem esta prática. A tradição foi rapidamente ultrapassada pela “máquina” e são agora poucas as pessoas que conservam este hábito de fazer o seu próprio pão.
Os utensílios usados no fabrico do pão caíram, igualmente em desuso tornando-se elementos dignos de exposição cultural. Falamos do forno de pedra onde o pão cozia, a pá do pão, o varredor de forno que servia para limpar as brasas e a cinza da base do mesmo, da amassadeira ou alguidar onde o pão era preparado e da tendeira, um tabuleiro de madeira onde a massa ficava a levedar.

Apesar de ser inevitável a perda de algumas tradições como a de amassar o pão, é muito importante conservarmos estas práticas que fazem parte do nosso património histórico-cultural. Ainda para mais, quando o consumo do pão continua ainda muito vivo e é bem sabido que em casa portuguesa não pode faltar a indispensável fatia de pão à mesa.

cantinhon